Faça sua marca conquistar fãs nas redes sociais

Olá, Empreendedor! Hoje vamos te dar dicas que valem ouro. Na sociedade que vivemos hoje, estar nas redes sociais se tornou indispensável. O marketing de seu negócio também pode utilizar de páginas na internet, blogs e mídias sociais.

Capturar1

Para os que pensam que é fácil, na verdade este trabalho acaba sendo mais complicado do que parece. É preciso muito comprometimento, além de conteúdo para construir uma mídia que atraia as pessoas e que faça com que elas interajam com a sua marca. Seja no Instagram, Facebook ou Twitter, você precisa estar conectada sempre e criar um fluxo de posts que estejam relacionados com a sua marca.

A primeira dica é fazer isso de forma mais natural possível, como se fosse a sua própria rede social, o seu próprio perfil. Além desta, separamos outras 4 dicas que podem mudar o futuro do seu negócio. Confira:

Evite vender – Às vezes é necessário promover algum produto ou trabalho, mas não se transforme em um daqueles vendedores que querem vender a qualquer custo. Use a sua voz natural e conte a todos como é esse novo produto, ou qual o desconto que está sendo oferecido. Nada de: “aproveite” ou “é só essa semana”, nada de frases prontas.

Poste regularmente– Não apareça apenas no feed dos seus seguidores apenas quando você quer vender alguma coisa. Esteja sempre ali. Poste uma vez por dia para começar, mas quanto mais, melhor. Tenha uma boa variedade de posts e tópicos para deixar as pessoas interessadas.

Comprometa-se - Não poste apenas seu último post e ache que a missão está cumprida. Faça uma pergunta, assim seus seguidores poderão interagir, e quando eles responderem, participe. Responda e continue a conversa, ajude-os com seus problemas, responda suas perguntas, ria das coisas engraçadas que eles possam comentar. Seus seguidores devem ser sua principal preocupação.

Compartilhe tudo – Sua página do Facebook não é o lugar onde você avisará sobre posts novos, sorteios, lançamentos e promoções. É onde você cria uma comunidade. Comece dividindo histórias engraçadas, fazendo perguntas e respondendo-as. Use as mídias sociais para ajudar seus seguidores a te conhecerem e conhecerem seu negócio profundamente para que eles possam se conectar com você.

Você já ouviu falar em tapiocaria? Então conheça esse negócio!

Olá Empreendedor! Hoje vamos falar de um novo tipo de negócio que vem crescendo no Brasil: a tapiocaria.

11

A tapioca é um dos produtos mais simples de se fazer e que tem uma taxa de venda muito boa, principalmente porque se trata de um produto típico do país, mas que não se encontra em todas as localidades.

Como, muito provavelmente, você não ouviu falar desse tipo de estabelecimento antes, vamos te dar as dicas que você precisa para fazer dele o seu novo negócio.
Como montar uma tapiocaria?

Assim como em qualquer outro negócio, o que você deverá buscar nesse inicio é um local para trabalhar. Se já tiver um bom dinheiro reservado para investir nesse novo empreendimento, saiba que vale a pena alugar um ponto comercial próprio em um lugar onde circula uma grande quantidade de pessoas, principalmente à noite, ou quem sabe até aproveitar um espaço na sua própria casa para começar trabalhar.

Naturalmente nesse inicio você deverá fazer algo que vai lhe ajudar a definir se esse será o negócio ideal ou não. Trata-se da pesquisa de mercado, pois através dela você passará a saber se as pessoas da cidade tem interesse em comprar tapioca, se ainda não existem grandes concorrentes trabalhando com esse mesmo produto e as possibilidades de lucro que terá ao trabalhar em um negócio desse tipo.

Equipamentos para montar uma tapiocaria
Por se tratar de um negócio simples e de baixo investimento inicial, também não será preciso investir em muitos equipamentos de trabalho. O que você precisará, realmente, é das ferramentas básicas de trabalho e dos acessórios para colocar suas tapiocas feitas, então veja a seguir alguns exemplos de equipamentos necessários:

• Uma panela apropriada para fazer tapioca (de preferência que seja de ferro)
• Um fogão pequeno
• Uma peneirinha
• Pratos para colocar tapiocas
• Mesas e cadeiras para os clientes
• Embalagens para tapiocas

Investimento para montar uma tapiocaria
O seu principal investimento para montar uma tapiocaria vai ficar por conta da organização do local de trabalho, da compra dos equipamentos básicos para começar trabalhar e da matéria prima para fazer tapiocas. Então falando de um modo geral, para abrir as portas da sua nova tapiocaria, você vai precisar investir algo entre R$ 10 e R$ 15 mil reais para ter tudo funcionando de forma eficiente.

Lógico que todo esse investimento pode ser variável e vai depender muito da estrutura da sua empresa, da quantidade de coisas que irá necessitar durante o trabalho e do investimento após a abertura da tapiocaria, que poderá ser referente a contratação de funcionários e a divulgação do novo negócio.

Você pensa em abrir uma papelaria? Saiba como!

Capturar

Olá Empreendedor, as férias escolares estão acabando e se você pensou em montar uma papelaria ou adquirir uma franquia, temos algumas dicas para você. A primeira delas é fazer um bom planejamento. Quanto mais você planejar, maior será sua chance de sucesso.

É importante saber que muitas das papelarias acabam tendo lucro em somente algumas épocas do ano – geralmente um a dois meses antes do começo das aulas. Então, os empreendedores do ramo devem oferecer mais produtos, atendendo também empresas e escritórios. Por isso, a escolha da localização é um ponto crucial. O ideal é montar uma papelaria próxima ao publico alvo, que são as escolas, faculdades, fóruns e escritórios.

Sabendo da dificuldade de conseguir se instalar próximos a estes locais, procure dar atenção especial a esses clientes, porque isto também faz a diferença para que eles se tornem fregueses. Faça entregas gratuitas, promoções diversas, e dê prazo para os pagamentos, observando, é claro, uma política de crédito pré-estabelecida. Estes pequenos diferenciais podem fazer com que você se destaque no mercado.

Quanto ao estoque, você deve fazer uma pesquisa de mercado para se inteirar de quais produtos tem maior aceitação e são vendidos com mais facilidade. Esta é uma boa dica, pois pode vir a ser uma estratégia para ter boa rotatividade, menores gastos de capital, e não ficar a mercê de modismo, ou seja, comprar muitas mercadorias que logo podem sair de moda, e “encalhar” no estoque.

Por isso, comece com o mínimo de produtos até conhecer sua necessidade real de estoque. Compre, neste primeiro momento, elementos básicos, como: papéis sulfite, estojos, durex, envelopes, canetas de cores diversas, fichários, borrachas, lápis, lápis para desenho e lápis para colorir, tintas, pincéis, vários tipos e tamanhos de cadernos, cola, canetinhas, tesouras, apontadores, estiletes, papéis cartolina, crepom, etc. Uma boa sacada é ir anotando todos os produtos procurados e que você não tem, e também a quantidade que você vende de cada produto que tem, assim poderá fazer uma estimativa do que deve pedir e a quantidade para as próximas compras.

Outro ponto que deve ser analisado é a estrutura básica necessária para montar sua papelaria. Isto vai variar de acordo com o porte do estabelecimento, o ideal é escolher um local arejado que permita que cliente e funcionários transitarem com facilidade. Para montá-la você precisará ter estantes, balcões, expositores, máquina copiadora (Xerox), computadores, telefone, fax, caixa registradora, etc.

Os funcionários também fazem parte dessa estrutura. Você provavelmente precisará de dois – sem contar com o dono – para começar. Lembrando que em certas épocas do ano o movimento pode aumentar e você vai precisar de mais funcionários.

Você deve estar se perguntando em quanto deverá investir para abrir sua papelaria. Levando todos os pontos da analise em conta, para montar uma papelaria pequena esse valor será em torno de R$40.000,00, e R$150.000,00 para uma loja de porte mediano.

Descubra o melhor jeito de organizar sua padaria

Capturar

Olá empreendedor, hoje vamos te sugerir algumas mudanças de organização para a sua padaria e saiba desde já, que isto pode aumentar em até 30% as suas vendas. Ao contrário do que muitos pensam, a questão da organização vai além da disposição dos produtos nas prateleiras e da higiene do local.

Organizar uma padaria significa também oferecer um estacionamento espaçoso, com vagas bem delimitadas. Um espaço interno confortável para os fregueses circularem também é fundamental. Seus clientes devem sentir-se mais “importantes” que os próprios produtos.

Ter todos os produtos identificados devidamente, com etiquetas, preços, validade e tipo, é crucial para conquistar a confiança do cliente. Nada mais desagradável do que ter que pedir sempre a um funcionário as especificações de um produto, ou pior, descobrir no caixa que o produto custa mais do que o anunciado. Seu cliente provavelmente voltará ao estabelecimento se encontrar tudo o que procurava.

Evitar desperdícios, agilizar o processo de atendimento e até de produção, conta mais do que determinar o lugar para cada alimento. A organização de padaria deve começar pelos próprios funcionários – que devem estar separados por área e função.

Gostou do tema? Esta semana escrevemos outros textos que podem ser do seu interesse também – “Veja a pesquisa sobre o comportamento do consumidor em padarias” (clique para ler) , “Descubra como fazer sua padaria se tornar mais lucrativa” (clique para ler) e “Produtos orgânicos estão em alta nas novas padarias” (clique para ler).

Web Série – “Fazendo uma análise de Mercado”: Quem são seus concorrentes?

Olá Empreendedor, estamos quase no fim da nossa Web Série “Fazendo uma análise de mercado” (clique para ler), já ressaltamos temas como: “Quem está comprando?” (clique para ler), “O que estão comprando?” (clique para ler) e “Por que estão comprando?” (clique para ler). Você ainda pode aproveitar a dica de hoje para conhecer melhor a sua concorrência.

Capturar

Observar a concorrência é fundamental, pois você será capaz de identificar as deficiências e as vantagens dela e determinar os possíveis pontos fracos e fortes do seu negócio, além de não cometer os erros que já foram cometidos por outras empresas do mesmo ramo de atividade que a sua.
O empreendedor precavido sempre está muito atento em relação a isso. Para que você se torne um deles, fizemos um roteiro de perguntas sobre a concorrência que está subdividido em alguns tópicos:

Produto ou serviço
• De que maneira é definido um produto ou serviço competitivo?
• Como ele se parece com o seu e com os outros?
• De que maneira ele é diferente do seu e dos outros?
• A concorrência é especialista ou oferece variedade?
• Quais características do seu produto ou serviço satisfazem seu mercado alvo?
• Quais pontos fracos e fortes da concorrência você pode explorar?
• Em que estágio tecnológico você se encontra em relação à concorrência?
• Quanto inovador você é? Comparado à concorrência você se ajusta rapidamente às mudanças tecnológicas?
• Que imagem o consumidor associa à concorrência?

Preço
• Qual é a estratégia de preço do concorrente?
• Como é seu preço em relação ao do concorrente?
• Que margens de lucro o concorrente pratica?

Praça
• Onde está localizado o concorrente?
• Como é sua localização em relação à dele?
• Ele tem espaço para crescer?

Promoção
• De que maneira a concorrência faz a propaganda?
• Quanto eles gastam em propaganda?
• Qual a mensagem?
• A propaganda da concorrência é efetiva?

Gerenciamento
• Como é a equipe gerencial do concorrente?
• Qual é seu conhecimento e sua competência?
• Que políticas de recrutamento eles utilizam? Eles oferecem treinamento ao seu pessoal?
• Qual a política de salários?
• O negócio do concorrente é lucrativo?
• Qual o faturamento; com que volumes de venda; com que participação de mercado?
• Eles investem em P&D?
• Qual a estrutura de capital deles? E o fluxo de caixa?

Após ter a resposta de todos esses questionamentos sobre a concorrência é a hora de analisar o seu próprio negócio, fazendo um quadro avaliativo comparando e enumerando os pontos fortes e fracos de ambos.

Após esse longo percurso é a hora de tirar conclusões. Você será capaz de competir com os concorrentes? Qual será seu diferencial? O mercado comporta outra empresa do seu ramo ou já está saturado?

Web Série – “Fazendo uma análise de Mercado”: O que estão comprando?

Olá Empreendedor, este é o segundo episódio da nossa Web Série “Fazendo uma análise de mercado” (clique aqui para ler). No primeiro episódio ajudamos você a descobrir “Quem está comprando” (clique aqui para ler), e hoje trazemos dicas para que você descubra “O que estão comprando”.

Capturar

Analisar o que seus clientes estão comprando é enxergá-los de uma perspectiva que você já está familiarizado, que são os seus produtos ou seus serviços. Assim você conseguirá criar segmentos de mercado baseados no que seus clientes compram e também abordar as necessidades de cada grupo.

Diferentes fatores podem e influenciam nos produtos e serviços comprados pelos consumidores. Pensando nisso separamos quatro principais que você, como um empreendedor “antenado”, deve atentar-se.

Característica: Quando você os agrupa em função das características do produto que eles procuram, descobre que os clientes têm muito em comum. Suas semelhanças incluem:

• A frequência com que usam o produto (pouco, moderadamente, muito).
• Sua habilidade em usar o produto (novatos, intermediários, especialistas).
• O que eles fazem com o produto (lazer, educação, negócios).
• Que tipos de clientes são (consultores, revendedores, usuários).

Embalagem: Este não é especifico para o empreendedor que tem seu próprio produto e precisa de uma embalagem para ele, pois isto envolve muito mais do que a caixa, o papel ou o plástico. Chamamos de “embalagem” tudo aquilo que cerca a oferta de um produto ou serviço – o Site, a filipeta (flyer), a página nas redes sociais etc… – incluindo:

• Propaganda do produto (rádio, TV, revistas, cartazes, camisetas).
• Promoções (vendas nas lojas, cupons, desenhos).
• Marketing (resenhas em livros, campanhas telefônicas, endosso de celebridades).
• Manutenção do produto (garantias, serviços de atendimento ao cliente, centros de serviço).

Preço: O preço de um tipo específico de produto ou serviço tende a criar diferentes grupos de clientes – os clientes que são sensíveis ao preço estão em um segmento; os que estão dispostos a pagar por certo nível de qualidade estão em outro. Mas o preço não é o único fator financeiro que pode levar a diferentes segmentos de mercado. Pode-se incluir:

• Financiamento disponível
• Opções de leasing
• Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta
• Acordo de troca

Opção de entrega: A distribuição e a entrega determinam como os clientes recebem seu produto ou serviço. Nesse caso, os segmentos de mercado baseiam-se em geral em onde os clientes compram, como: depósitos, centros de desconto, lojas de departamento, butiques, catálogos e internet.

Os segmentos de mercado baseados na entrega também podem considerar outros critérios, como: disponibilidade total de horário (lojas de conveniência); disponibilidade total de local (postos de gasolina); disponibilidade garantida (vídeo locadoras); sensibilidade ao horário (floricultura, pizzarias, frutas e vegetais).

Web Série – “Fazendo uma análise de Mercado”: Quem está comprando?

Olá Empreendedor! Seja bem-vindo ao primeiro episódio da nossa Web Série – “Fazendo uma análise de Mercado”. Hoje te ajudaremos a descobrir quem compra o seu produto ou serviço, para que você os conheça melhor e saiba como atendê-los.

Capturar

O primeiro passo é saber os seus hábitos e como vivem. Se seus clientes são outras empresas, descubra como eles operam seu negócio. Para que esta pesquisa fique ainda mais fácil, pense em seus clientes utilizando dos seguintes termos: geografia, perfil, estilo de vida e personalidade.

• Geografia: Neste tópico é importante saber onde moram seus clientes – país, região, estado, cidade, bairro etc.
Além disso, dependendo do seu negócio, vale se perguntar: qual a proximidade de seus vizinhos mais próximos? Qual é a temperatura da região onde vivem no verão? Quanto tempo levam para chegar ao aeroporto? – estes questionamentos podem parecer irrelevantes, mas podem ajudar e direcionar seu negócio.

• Perfil: Este é um dos termos mais relevantes para você empreendedor, pois é a partir aqui que você descobrirá como são seus clientes. Deve-se ter claro dados como: idade, sexo, tamanho da família, educação, ocupação, renda, etnia, nacionalidade, religião etc.
Se seu consumidor não é uma pessoa em especial, e sim uma empresa, é necessário saber: o setor, porte da empresa, número de funcionários, anos no negócio, faturamento etc.

• Estilo de vida: Esta analise diz respeito ao cotidiano dos seus consumidores – passatempos, hábitos ao assistir TV, atividades sociais, afiliação a clubes, preferências para férias etc.
E para você que tem uma empresa como cliente, deve-se saber as iniciativas dela, isso quer dizer, pesquisar se ela se envolve com a proteção do meio ambiente, se faz doações a eventos beneficentes, se investe no treinamento dos funcionários ou faz a oferta de benefícios a eles.

• Personalidade: Este último termo se refere a: saber como agem os seus clientes. E por sabermos a dificuldade de se obterem estes dados separamos um modo de classificação, que divide em 5 tipos básicos a personalidade dos consumidores:

- Inovadores (5% da população): correm todos os riscos; jovens e bem educados; familiarizados com novas ideias e tecnologias; têm computadores portáteis e estão conectados a redes; informados por fontes externas.
- Primeiros adeptos (10% da população): líderes de opinião em suas comunidades; avaliadores cautelosos; abertos a argumentos bem justificados; respeitados por seus companheiros etc.
- Maioria inicial (35% da população): evitam riscos sempre que possível; agem de forma deliberada; não experimentam novos produtos, a não ser que se tornem populares etc.
- Maioria tardia (35% da população): céticos; extremamente cautelosos; desapontados com outros produtos; relutantes com novos produtos, respondem apenas à pressão de amigos etc.
- Retardatários (15% da população): esperam até o último momento; esperam até os produtos ficarem desatualizados; ainda hesitam etc.

Esperamos que agora você saiba um pouco mais sabre seu cliente e procure uma maneira para melhor atendê-lo. Não se esqueça de que este foi só o primeiro episódio desta Web Série, que amanhã continua com o tema “O que está comprando?”, também essencial para deslanchar seu negócio.

WEB SÉRIE: Fazendo uma análise de Mercado

Olá Empreendedor! Seja bem vindo à nossa mais nova Web Série – “Fazendo uma análise de Mercado”. Qual o objetivo? O que esperar? Estamos sempre buscando uma maneira de oferecer um conteúdo relevante para você micro empresário, autônomo, mas que, acima de tudo, é um empreendedor. Sempre com esse foco, hoje inauguramos uma nova série com posts que lhe auxiliarão a fazer uma análise do mercado ao qual pertencem.

Capturar

É claro que não podemos especificar e exemplificar em todos os ramos, mas de um modo geral a análise é uma espinha dorsal que pode ser seguida por qualquer tipo de nicho de mercado. Seja você dono de Petshop, minimercado, restaurante, padaria, hostel ou qualquer outro tipo de estabelecimento, uma análise de mercado sempre será bem vinda.

Nós lhe guiaremos por tópicos e discutiremos assuntos que podem ser polêmicos e difíceis de serem encarados, mas quando se trata em crescimento econômico, esse tipo de atitude é mais que necessária. Nosso primeiro conselho é o de assumirmos a sinceridade e honestidade ao responder questões que envolvem relacionamento com cliente, fornecedores e até com concorrentes. Lidarmos com a verdade é o melhor remédio e a melhor vacina contra a crise e o mau desempenho.

Estamos otimistas que ao final do processo que durará toda a semana que vem, estaremos mais próximos de soluções interessantes para seu negócio, assim como teremos um novo horizonte a seguir. Acompanhe-nos e participe. Comente, compartilhe e divida suas dúvidas e descobertas. Um mundo não se faz sozinho, precisamos uns dos outros para descobrir oportunidades e encontrar soluções.

Que esta Web Série seja um primeiro passo para o encontro de ideias e que juntos possamos desenvolver uma nova forma de lucrar e crescer. Até segunda-feira, quando iniciaremos a Web Série com o primeiro capítulo – “Quem está Comprando?”.

Você gosta de crianças e quer abrir um negócio voltado para elas?

Capturar

Uma das principais tendências para os negócios é o mercado infantil. As crianças se tornaram os clientes mais disputados por novos empreendedores e marcas consolidadas. Por ano, o setor infantil movimenta em torno de R$50 bilhões no país e por isso, investir nesse mercado pode significar “se dar bem”.

Esse crescimento no mercado infantil foi graças ao contato precoce das crianças com o meio digital. Com a informação online, as crianças decidem que produtos desejam e têm mais poder de decisão que há alguns anos.

Para apostar nos pequenos consumidores, são ideias desde brinquedos tradicionais a aplicativos para celulares. Franquias também são apostas mais seguras, como marcas de roupas e brinquedos e podem ter uma margem de lucro atraente.

Para ser um bom empreendedor, é necessário ter a cabeça aberta a novas ideias, como uma academia especializada para crianças. Centros de estudos voltados pra música ou línguas estrangeiras fazem sucesso com a criançada e principalmente com os pais que vão adorar investir em conhecimento para os filhos.

Abrir uma empresa voltada para organização de eventos pode ser uma boa ideia. As festas de aniversário são talvez o evento que mais atrai os pais e as possibilidades são imensas. Neste setor, existe espaço para inovar e criar e pode ser usado também para outras festas.

Trabalhar com confecção de roupas pode ter uma boa margem de lucro. A utilização de materiais é menor, mas as peças são geralmente vendidas pelo mesmo preço que a de um adulto.

São muitas opções de investimento, e o empreendedor deve aproveitar o crescimento do mercado e procurar a área que tiver mais envolvimento.

Sorvete no inverno? Uma boa oportunidade de negócio!

Capturar

O sorvete certamente nos remete ao calor e ao verão e se você é proprietário de uma sorveteria, sabe muito bem que os negócios caem consideravelmente nessa época do ano. Por isso, preparamos algumas dicas de como vender os deliciosos gelados no inverno.

Parece controverso, mas em países da Europa, onde a temperatura é muito menor que a do nosso país, o consumo do sorvete se mantém elevado o ano todo. A Suíça, por exemplo, tem uma média de consumo anual, por pessoa, de 14,4 litros por ano, pois a população interpreta o sorvete como alimento e não apenas como sobremesa.

Porém os brasileiros não tem o costume de associar o sorvete com o frio e preferem sempre alimentos quentes. Os consumidores não tomam sorvete no frio por acharem que tem mais chances de pegar um resfriado ou inflamar a garganta.

Quem tem uma sorveteria ou pensa em abrir uma, o maior medo é justamente esta época do ano, que as vendas chegam a cair em até 70%.

Então, qual a solução? Uma boa ideia é ter opções que vão além dos sorvetes, inovando o cardápio, como fondue de sorvete, o petit gateau, sorvete assado e sabores exóticos misturados com calda, frutas ou biscoitos. Oferecer descontos em picolés e potes de sorvetes pode ajudar também a reeducar o consumidor.

Outra alternativa, é expandir seu comércio em outras regiões, onde o inverno não é tão rigoroso. No norte e nordeste, por exemplo, o verão é longo e dura quase o ano todo, ao contrário da região sul e sudeste, que as temperaturas no inverno ficam mais baixas.

Investir em uma loja climatizada é uma boa jogada! Um aquecedor combina muito bem com essa ideia e deixa o ambiente agradável para o consumidor.

Você sabia que o vinho é uma boa opção de harmonização com o sorvete e pode também surpreender seus clientes? Clique aqui e saiba mais!

Não tenha medo de inovar! Quando lidar com produtos sazonais, o empreendedor deve ter a mente aberta e se esforçar em novas ideias para não deixar o negócio ser afetado pela mudança de clima.