Facebook Linkedin Instagram YouTube

Os segredos do colarinho

Postado em Banner, Makro Speciale em maio 31st, 2015

speciale31.05

Para alguns, o colarinho –também chamado de espuma ou creme— é parte fundamental da experiência cervejeira; para outros, ele incomoda e chega até a prejudicar o consumo da bebida, perturbando seu sabor real e reduzindo sua quantidade no copo.

De fato, em cervejas menos aprimoradas e com maior possibilidade de oxidação, o aroma amargo fica mais evidente no creme, chegando até a agredir os paladares mais sensíveis. Para as mais sofisticadas, contudo, a espuma pode ser bastante importante. Isso porque o colarinho contribui para o controle da liberação dos gases da cerveja, o que permite que sua temperatura e paladar sejam preservados por mais tempo.

Cada cerveja trará uma espuma de cor, textura, duração e espessura diferente. Nas de trigo, por exemplo, ele será mais extenso, exigindo copos mais compridos e largos para estabilizar-se. Já para uma Pilsen, sua espessura deverá ficar em cerca de 2,5 cm para a melhor apreciação, enquanto que uma Weiss exige um creme mais encorpado, de até 4 cm.

Na Europa, há uma demarcação nas canecas do limite da cerveja para que o restante do espaço possa (ou não) ser ocupado pelo colarinho, assim, mantém-se esta cultura, melhora-se o consumo e, além de tudo, aprimora-se o efeito estético ao servir a bebida.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *