Facebook Linkedin Instagram YouTube

O papel da rolha no ritual do vinho

Postado em Banner, Makro Speciale em abril 24th, 2015

Além de servirem como peças de grande valor para colecionadores, as rolhas de garrafas de vinho também podem oferecer informações importantes sobre as condições de consumo nas quais a bebida se encontra.

speciale2

Os primeiros dados são obtidos a partir da simples leitura, visto que grande parte das rolhas apresenta o nome do vinho e sua safra. A análise, no entanto, pode ir um pouco além da mera observação.

Sinta o aroma
A partir dele, é possível identificar eventuais defeitos no vinho, sendo três os tipos que podem indicar problemas e aos quais deve-se estar atento:
Aroma oxidado: ocorre quando a rolha está com cheiro de maçã velha, acetona, ou ausenta-se qualquer traço frutado;
Aroma avinagrado: neste caso, o odor de vinagre é bastante acentuado, sugerindo uma contaminação do álcool do vinho;
Aroma bouchoneé: um forte cheiro de mofo, que pode indicar a exposição a substâncias prejudiciais durante o processo produtivo.

Verifique a textura
Para efetuar um diagnóstico prévio completo do vinho apenas a partir da análise da rolha, deve-se verificar o estado em que esta se encontra fisicamente:

Rolha ressecada: possui como causa principal a ausência de elasticidade da cortiça proveniente de sua baixa qualidade ou de seu alto envelhecimento, mas não indica, necessariamente, danos à bebida;
Rolha com infiltrações: um bom indicativo de vazamento. Quanto maior a quantidade de fissuras, maior a probabilidade de danificação do líquido interno.

Além de serem bastante perceptíveis, os defeitos acima são bastante raros, não havendo a necessidade de preocupar-se muito com a qualidade dos vinhos produzidos atualmente!

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *