Web Série “Cortando Custos”: Na Infraestrutura

Olá empreendedor! Estamos no penúltimo episódio da Web Série “Cortando Custos”! Já falamos sobre “Os Primeiros Passos” (clique para ler) e sobre mudanças “Na Gestão” (clique para ler) e “Nos Recursos Humanos” (clique para ler) que te ajudarão a minimizar as perdas do seu negócio, e hoje trataremos das mudanças na infraestrutura que também contribuirão para melhorar a saúde financeira da sua empresa!

Capturar

O primeiro gasto que pode estar comprometendo o seu orçamento, e que muitas vezes parece insignificante, está relacionado às pequenas despesas do dia-a-dia, tais como materiais de escritório e itens de manutenção. Isoladamente, grampos, sacos plásticos e sabonetes não são tão caros, mas na somatória o custo pode pesar bastante nas finanças.

Estar atento a estas minúcias pode contribuir para a redução das perdas tanto quanto a avaliação da real necessidade de uma frota de carros ampla ou de gastos excessivos com serviços de telefonia e comunicação. Estes três elementos, apesar de suas diferenças, podem corroer as contas da companhia de forma imperceptível, mas podem ser facilmente economizados a partir da conscientização dos funcionários.

À parte de tais despesas, deve-se estar constantemente atento a eventuais perdas produtivas e a suas causas. Muitas vezes, a linha de produção permanece debilitada por longos períodos por conta da desatualização de softwares e equipamentos, e não por incompetência dos funcionários. Em ambos os casos, o mais importante é que a fonte de ineficiências seja eliminada para que a produtividade seja maximizada, seja através da qualificação da mão-de-obra ou a partir da compra de recursos mais recentes.

A modernização de materiais ou mesmo de processos, tais como a troca do armazenamento de documentos físicos por vias virtuais que ocupam menos espaço e são mais facilmente recuperadas, contribui para a minimização dos custos e, principalmente, para o aumento da produtividade.

Também é importante ater-se sempre a gastos básicos com infraestrutura, logística e pagamentos. Apesar de serem essenciais à manutenção da empresa, muitas vezes novas tecnologias podem facilitar estes processos e reduzir as despesas totais envolvidas.

No caso de infraestrutura, pode-se considerar uma reformulação dos hábitos dos funcionários em relação ao uso de energia, por exemplo, substituindo a luz elétrica por luz solar durante o dia. Já em termos de logística e pagamentos, pode-se verificar se não há uma quantidade exagerada de intermediários em cada processo que possa vir a aumentar os custos. Eventualmente, pode-se considerar a terceirização destas atividades para minimizar as despesas.

Para reduzir os custos totais, analise sempre à eficiência dos gastos com:

• Materiais de escritório, frota de carros e comunicação
• Equipamentos e qualificação de mão-de-obra
• Infraestrutura básica
• Processos produtivos

“Web Série Cortando Custos”: Nos recursos humanos

Olá empreendedor! Chegamos ao terceiro episódio da nossa Web Série “Cortando Custos”! Nos primeiro e segundo episódios, trouxemos informações sobre Os Primeiros Passos” (clique para ler) e as mudanças que podem ser adotadas “Na Gestão” (clique para ler) para cortar os custos desnecessários! Veja nossas dicas para sobre este tema!

Para hoje, preparamos uma série de sugestões de Recursos Humanos para que você analise a produtividade da sua empresa e verifique se os custos com funcionários estão realmente gerando o retorno esperado.

Capturar

Comece por avaliar se o período de trabalho de cada funcionário está realmente de acordo com a sua produção. Não são raros os casos de indivíduos ou equipes que empregam muito tempo em atividades que reduzem a eficiência, tais como navegação na internet ou pausas excessivas para almoço e cigarro.

Como consequência destes períodos improdutivos, alguns funcionários acabam permanecendo na empresa por mais tempo do que necessário para cumprir suas tarefas, aumentando os custos com infraestrutura ou mesmo com horas-extra.

Para compensar este período, pode-se incentivar a redução do tempo de trabalho a partir de premiações por eficiência, ou mesmo trabalhar com bancos de horas que beneficiem o funcionário com férias e feriados mais longos.

Se os gastos com pessoal realmente estiverem muito elevados e se fizer necessário demitir parte da equipe, deve-se estimar todos os custos envolvidos neste processo, tais como fundos de garantia, contratação e treinamento de novos funcionários — para determinar se esta é realmente a melhor opção. Por maiores que sejam alguns salários individuais, pode ser que as despesas para substituí-los seja maior do que o esperado.

Desta maneira, pode ser mais eficiente terceirizar funções no lugar de recontratar. Algumas atividades de menor frequência tais como recrutamento e auditoria, podem ser facilmente subcontratadas, reduzindo os custos fixos da empresa. É importante, no entanto, estipular termos de serviço precisos para evitar custos excessivos que possam vir a surgir com eventuais desligamentos.

Avalie também se os benefícios oferecidos aos funcionários realmente estão sendo utilizados, ou se estão apenas ocupando parte do salário. Em algumas situações, pode-se até substituir os serviços oferecidos por outros que atendam às necessidades específicas dos empregados, os deixando mais satisfeitos e melhorando sua produtividade final.

Por fim, busque sempre otimizar todos os processos da companhia. Deixe claro para todos quais são os objetivos mais amplos e de longo prazo da empresa e determine metas para cada setor. Em casos de recessão, busque trabalhar com férias coletivas para diminuir gastos de manutenção e explique aos funcionários os motivos de tal ação.

Com a colaboração de todas as modificações implementadas serão mais aceitas e os custos poderão ser cortados com maior facilidade!

Web Série Cortando Custos: Na Gestão

Olá Empreendedor! Estamos no segundo episódio da nossa Web Série “Cortando Custos”! No nosso primeiro episódio, comentamos sobre “Os Primeiros Passos” (clique para ler) para reduzir os gastos e melhorar os retornos.

8

Hoje falaremos sobre as melhoras nos processo de gestão que podem ajudar a melhorar os resultados do seu negócio e aumentar a sua rentabilidade!
Para começar, tenha em mãos o histórico de receitas e despesas da empresa para avaliação. Analise quais custos possuem maior participação nos lucros e quais podem ser reduzidos, e até mesmo cortados, por não gerarem retornos eficientes.

Leve em conta todos os efeitos de cada gasto, desde os diretos, como aumento das vendas, até os indiretos, como uma melhora no bem-estar dos empregados que poderá melhorar o relacionamento com os clientes. Uma máquina de café pode não trazer nenhum retorno financeiro, mas certamente contribui para o bem-estar dos funcionários!

Uma vez feita essa análise, estruture um planejamento estratégico de redução de gastos junto à sua equipe. Inclua metas de diminuição das despesas e os procedimentos a serem tomados para alcança-las. Desta maneira, é possível incentivar e monitorar todos os envolvidos ao longo de cada nova política implementada.

Avalie os efeitos das mudanças periodicamente para verificar quais medidas se adequam melhor a cada setor. Além disso, não hesite em desfazer as alterações caso uma medida produza efeitos inesperados.

Por fim, nunca se esqueça do cliente. O resultado final de todo o trabalho deve ser sempre direcionado ao consumidor, e as mudanças não devem afetá-lo negativamente, e sim melhorar a qualidade dos produtos e serviços para atendê-lo!

De forma resumida, esteja sempre atento e siga os passos a seguir:

• Avalie periodicamente o histórico de receitas e despesas da empresa
• Identifique gastos ineficientes e formas de minimizá-los
• Fique atento aos efeitos diretos e indiretos produzidos por cada medida
• Estabeleça metas e caminhos para atingi-las
• Mantenha-se atento às necessidades do cliente e às suas reações a cada modificação
• Não se esqueça de registrar dados e comentários sobre os efeitos de novas políticas para consulta futura!

Web Série Cortando Custos: Os Primeiros Passos

Olá empreendedor! Hoje daremos início à nossa Web Série “Cortando Custos”! Ao longo dessa semana, apresentaremos técnicas adotadas por empresas de diversos setores que podem contribuir para a redução dos custos do seu negócio de forma eficiente, ampliando a produtividade e melhorando os resultados!

Capturar

Antes de qualquer análise de planilhas, é importante ter em mente que o corte de custos não depende somente de revisões do modelo de negócio ou de reajustes na infraestrutura, mas também da produtividade e do engajamento de cada funcionário. Somente com a conscientização de todos quanto aos objetivos de cada medida implementada será possível promover as mudanças.

Por isso, o primeiro passo para o sucesso no corte de custos é comunicar e conscientizar todas as partes envolvidas no processo produtivo das transformações propostas e dos objetivos de longo prazo da companhia. Com o comprometimento e engajamento de todos, naturalmente caminha-se para um aumento da produtividade.

Uma vez promovida essa transição na mentalidade da equipe, pode ser iniciado o processo de avaliação de receitas e despesas para identificar como cada setor deve atuar em busca de uma melhora nos resultados. Por maiores que sejam os custos envolvidos nesta análise, ela é essencial para que se possa minimizar os gargalos do processo produtivo.

Com a redução das ineficiências, podem-se gerar ganhos na produtividade e abrir portas para melhoras na qualidade dos produtos e serviços, para a prática de preços mais competitivos que virão a atrair a demanda do mercado, e, consequentemente, para a ampliação das margens de lucro.

No longo prazo, a constante análise dos custos e o corte de atividades menos eficientes são essenciais para a sobrevivência da companhia. A saúde financeira do seu negócio depende diretamente da forma como você e sua equipe tratam e recompõem seus pontos menos eficientes.

Durante a nossa Web Série desta semana, trataremos de quatro fatores essenciais para o seu negócio. Acompanhe as próximas publicações para saber como maximizar os ganhos a partir de reestruturações na gestão, nos recursos humanos, na infraestrutura e nas finanças da sua empresa!

Homenagem ao Dia da Cachaça

Olá empreendedor! hoje vamos fazer uma homenagem ao dia de uma das bebidas mais populares do Brasil: a Cachaça. Dia 13 de Setembro representa uma vitória da luta pelo direito de produzir e comercializar a bebida mais democrática do país, e tem como objetivo contemplar a bebida nacional, que traz a identidade do povo brasileiro.
História do Dia da Cachaça

Brazil Cachaca

Já nos tempos coloniais, a produção de cachaça era uma importante atividade econômica no Brasil, levando a redução do consumo da bagaceira importada de Portugal. Preocupados com o sucesso da aguardente, os portugueses, através de uma Carta Real de 13 de setembro de 1649, proibiram a fabricação e a venda da cachaça em todo o território brasileiro.

Os proprietários de cana-de-açúcar e alambiques, indignados com as constantes cobranças de impostos ao longo dos anos e perseguidos por vender a bebida, se revoltam no dia 13 de setembro de 1661 e tomam o poder no Rio de Janeiro por cinco meses resultando em um dos primeiros movimentos de insurreição nacional, a Revolta da Cachaça.

Com o poder restituído, o movimento é repreendido com violência e o seu líder, Jerônimo Barbalho Bezerra, é enforcado e decapitado, tendo sua cabeça pendurada no pelourinho da cidade, como exemplo à população fluminense.

Hoje em dia, todo 13 de setembro comemora-se o “Dia Nacional da Cachaça” como uma forma de relembrarmos os tempos de um Brasil colonial, quando a cachaça era símbolo de resistência contra a dominação portuguesa.

Abertura Web Série: “Cortando Custos”

Olá empreendedor! A partir da semana que vem, vamos dar inicio a uma nova Web Série no Guia do Empreendedor Makro. Abordaremos o tema “Cortando Custos” que terá como missão auxiliar os empreendedores que querem melhorar seus resultados, cortando as gorduras do orçamento. O cenário econômico brasileiro dá sinais de enfraquecimento e para evitar desperdícios, é preciso colocar as contas em dia e cabeça no lugar.

Capturar

Os episódios serão divididos da seguinte forma: os primeiros passos, na gestão, nos recursos humanos, na infraestrutura e, logicamente, nas finanças. Para que o conteúdo seja relevante e bem aproveitado, trataremos da forma mais simplificada e didática possível, levando em consideração os diferentes tipos de negócio que vocês, nossos leitores, possam ter.

É importante que você levante os dados de sua empresa e avalie seus gastos com imparcialidade e sinceridade típicas de quem quer desenvolver seu negócio. Às vezes, preso a certos paradigmas, você pode estar com custos inflados e desnecessários. Dito isso, vamos a algumas sugestões:

1) Tenha em mente que seu negócio pode sofrer com uma economia de baixo crescimento.

2) Abra suas contas diante de seus olhos para que os números não se escondam por trás de falsos argumentos.

3) Não se desespere com possíveis baixas em seu lucro. Cortar determinadas despesas pode fomentar seu negócio e fazê-lo mais rentável.

4) Caso tenha dificuldades, consulte alguém especializado em finanças.

É isso: semana que vem teremos um encontro diário para discutirmos o quão saudável está seu negócio. Estamos ansiosos para darmos mais um passo em direção ao seu sucesso profissional. Bom fim de semana e até lá!

Como identificar a ética dos candidatos no processo de recrutamento?

Capturar

Olá empreendedor! Certamente você já passou por uma experiência parecida com a que vamos descrever:
Você está precisando de funcionários e começa a chamar alguns candidatos para entrevistá-los, em um primeiro momento você gosta de alguns deles e acaba chamando uns dois ou três para trabalharem com você. O tempo começa a passar e você descobre que um deles não age de maneira correta.

Para que você não passe por isso novamente separamos algumas dicas que podem fazer com que você identifique a índole dos seus futuros funcionários. Usar de ferramentas como a Análise de Aderência Ética (AAE) ajudam as organizações a identificar o grau de aderência dos candidatos ao seu perfil ético, fortalecendo assim a cultura ética da empresa e sua capacidade de resistência às fraudes.

A denominada Análise de Aderência à Ética, que tem como objetivos identificar o nível de comprometimento individual dos participantes com a cultura da organização; mitigar vulnerabilidades que interfiram na manutenção de um ambiente ético; sugerir aprimoramentos às normas e procedimentos da empresa em relação à sua clareza para prevenção de perdas e fraudes e reforçar a mensagem corporativa da importância da ética, levando a um aumento de inibição a má conduta.

Esse processo é aplicado para candidatos a posições sensíveis em suas organizações, sensibilidade essa que pode estar atrelada à vulnerabilidade das atividades que seu cargo propicia ao lidar com informações confidenciais, bens, dinheiro, negociações, entre outras.

Uma das formas de identificar a verdadeira percepção de ética do profissional é buscar padrões de emoção em sua fala. Exemplo disso é: ao invés de perguntar ao candidato “você teve problemas na sua saída da empresa anterior?”, peça para ele relatar o último dia dele na empresa anterior. Ao se lembrar desse dia, ele resgatará da memória emoções positivas ou negativas de sua saída, que serão expressas através da sua linguagem verbal e não verbal, possibilitando um maior aprofundamento do tema.

O importante é sempre estar atento e perceber o seu candidato. Essa atenção redobrada para a admissão faz a diferença no futuro, vale a pena investir.

Não deixe que exista uma diferença entre o que sua empresa diz e o que ela faz!

Olá empreendedor! será que sua empresa anda dizendo aquilo que não faz ou vise versa? Saiba como não se contradizer em nosso post de hoje.

4

A gente escuta muito as empresas falarem do relacionamento com seus clientes, de quanto isto é importante, o quanto estão investindo nisto e toda aquela estória que todos conhecemos. O fato é que, no dia a dia, este relacionamento todo gera muito menos benefícios do que se imagina e menos ainda do que a gente espera.

Cada um de vocês, certamente, tem casos em que se esperava uma postura diferente de seu fornecedor, baseada no tempo de relacionamento, mas obtiveram um tratamento totalmente incompatível. Às vezes, as empresas sequer sabem que você é cliente.

Por isso, você tem que fazer com que na sua empresa seja diferente. Criar um relacionamento que dure mais do que uma compra, daqueles que o comprador passe a ser fiel, te defenda e saiba que o valor pago pelo produto e ou serviço valeram a pena – como se fosse uma troca.

O relacionamento com o cliente é ainda muito mais uma retórica de marketing do que algo que pode agregar valor para os dois lados. Você pode até ter a intenção de usar o relacionamento com o cliente em seu benefício, mas a prática ainda está muito longe de sê-lo e, mais ainda, do que esperamos que fosse.

5 coisas que pessoas de sucesso não fazem

Capturar

Olá empreendedor! como você deve saber, uma das formas de crescer é tomar os outros como exemplo. Dentro do seu ramo deve existir alguém ou alguma empresa que você possa ter como inspiração. É claro que os pontos positivos, você sabe, mas hoje, vamos te ajudar a fazer outro tipo de análise. Você vai descobrir o que pessoas bem sucedidas não fazem:

1. Não viver no passado
Pessoas inteligentes emocionalmente sabem que o sucesso tem a ver com crescer diante dos desafios e isso não pode ser feito remoendo o passado. Fracassos anteriores não podem diminuir a crença na sua capacidade de seguir em frente.

2. Não guardar ressentimentos
O estado emocional de alguém pode ser determinado de acordo com o foco da atenção dessa pessoa. O foco dos inteligentes emocionalmente não será nos problemas enfrentados ou em sentimentos negativos, mas em como melhorar a si próprios. Esse tipo de atitude produz sentimentos e emoções positivas, e gera melhora no desempenho profissional. O fato de não reviver brigas e guardar ressentimentos evita o estresse que o corpo humano sente ao lidar com conflitos.

3. Não priorizar a perfeição
Pessoas de sucesso sabem que a perfeição não existe, por isso não a colocam como alvo. Se a perfeição é o objetivo de alguém, essa pessoa sempre estará em contato com certo senso de fracasso, já que é impossível ser perfeito. Esse comportamento impede a percepção das conquistas alcançadas ou até mesmo sua desvalorização.

4. Não conviver com negatividade
Pessoas que reclamam o tempo todo ou sempre fazem comentários negativos são tóxicas. Elas esperam pena e empatia, ao invés de investirem seu tempo e energia em soluções para os problemas, tentar evitar ou se distanciar de energias negativas constantes.

5. Não dizer “sim” o tempo todo
Pesquisas mostram que quanto maior a dificuldade de alguém para dizer “não”, maior a probabilidade de essa pessoa sentir estresse, fadiga e depressão. Porém, os inteligentes emocionalmente não enrolam na hora de fazer isso.
Dizer “não” a alguém, evitando um compromisso a mais, é uma forma de honrar os compromissos que você já tem, o que aumenta as chances de alcançar sucesso no desenvolvimento deles.

Dicas para ser um freelancer bem sucedido

Olá, empreendedor! Hoje trazemos algumas dicas para que você seja um freelancer de sucesso. Para isso, é preciso entender que deve haver um planejamento tanto do ponto de vista organizacional quanto do ponto profissional, isso sem contar a parte financeira.

1

Cada vez mais as pessoas estão em busca de “freelas” para adquirir experiência e centenas de oportunidades surgem como uma alternativa de oferecer independência profissional. Se você tem interesse em se destacar neste mercado, veja alguns passos essenciais:

1. Determine suas habilidades e objetivos
A primeira etapa é decidir sua área de interesse. Esteja focado naquilo que você já estudou ou possui uma paixão e especialize-se, inove e melhore suas habilidades dentro desse ramo. Quanto mais experiência, maiores são as possibilidades de entregar trabalhos de qualidade e, consequentemente, ser contratado.

2. Supere seus concorrentes
Não é somente o preço que conta. Pontos como prazos, qualidade, organização e inovação contribuem para que o empreendedor saia à frente dos concorrentes, pois estes pontos o tornam mais confiável para realizar os trabalhos. Por isso, é importante estar sempre bem preparado. Capacite-se, faça sempre cursos relacionados à sua área e que acrescentem mais no seu portfólio.

3. Selecione as ofertas de trabalho
Não tenha medo de dizer não aos projetos questionáveis. Se para quem está começando isso soa como um luxo, com o tempo os freelancers passam a perceber que clientes ruins não acrescentam em nada, apenas sugam sua energia e atrapalham seu bem-estar. Além de tirar o tempo que poderia ter investido em clientes em potencial.

4. Valorize seu tempo e a qualidade do seu trabalho
Faça seu trabalho valer a pena. Pesquise os preços e custos atuais para evitar receber menos por um trabalho realizado. A maioria dos clientes sabe apenas do seu mercado de trabalho e não das demais áreas, portanto acaba não tendo ideia de valores. Esta é a responsabilidade do freelancer, ajudar o cliente a entender mais sobre seu trabalho, a complexidade e quanto vale esse tempo.