Aprenda a inovar seu cardápio e conquistar clientes

Olá empreendedor!

Você possui em seu cardápio opções amplas para satisfazer seu cliente? A busca pela vida saudável está aumentando cada dia mais e, com ela algumas práticas alimentares vem ganhando espaço no mercado, como o veganismo.

Mas você sabe o que é ser vegano? Esta definição está na forma de viver que busca excluir, as formas de exploração e de crueldade com os animais, seja pela alimentação, vestuário ou qualquer outra finalidade. Na alimentação, por exemplo, são descartados o frango, peixe, leite, ovos e mel.

Devido a estas restrições, é preciso criatividade na hora de preparar uma alimentação para seu cliente com esse estilo de vida. Então, vamos aprender uma receita nutritiva de deixar qualquer vegano com água na boca!

Veganburguer de beterraba

shutterstock_267497981

Ingredientes:
1 xícara de beterrabas cruas picadas
1/2 xícara de farinha de mandioca
1/2 xícara de batata cozida e amassada
1 cebola pequena picada
1 dente de alho ralado
1 colher (sopa) de azeite
1 pitada de pimenta do reino em pó
Salsinha e sal à gosto

Modo de preparo:
 Bata rapidamente as beterrabas no liquidificador com 1 copo de água. Coe bem e reserve o resíduo (utilize o líquido para fazer um suco).
Em um recipiente, misture a cebola, o alho, o sal, a salsinha, o azeite e a pimenta. Acrescente e misture aos poucos o resíduo da beterraba, a batata amassada, e por último a farinha de mandioca. Amasse até formar uma massa uniforme. 
Forme os bolinhos com as mãos, disponha em assadeira untada e leve para assar, deixando tostar levemente dos dois lados.

Rende de 5 a 6 mini veganburguer.

Você conhece as Pizzas funcionais? Aprenda para incluí-las em seu cardápio!

shutterstock_259024457

Olá empreendedor! Com a disseminação das redes sociais, novos estilos de vida surgiram. É cada vez mais comum a existência de celebridades fitness que ficaram famosas através da internet. Com isso, os empreendimentos devem de se adequar a essa nova onda saudável e aproveitar para lucrar.

O aumento de opções de pratos funcionais no menu dos estabelecimentos é cada vez mais perceptível.  Caso você não saiba o que é um alimento funcional, entenda que são certos tipos de alimentos que além de cumprirem com seu papel nutricional, trazem benefícios à saúde.

Além disso, essas iguarias não perdem em nada no quesito qualidade e sabor. Alguns restaurantes já oferecem pizzas funcionais. Por mais que você possa achar que o teor calórico seja alto, isso não ocorre, uma vez que nessa versão a pizza é sem glúten, sem ovos e até sem lactose.

Outra dica que pode ser legal, dependendo do foco de seu empreendimento, é colocar no cardápio o valor nutricional de cada prato ou até mesmo as vantagens que alimentos funcionais oferecem ao corpo humano. Por exemplo, a massa da pizza pode ser feita com farinha de linhaça que é rica em fibras, minerais, fonte de ácidos graxos, o que ativa o intestino, ajuda a controlar o colesterol e a pressão arterial.

Veja um exemplo de pizza funcional:

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha preparada (3 xícaras de farinha de arroz ou creme de arroz +1 xícara de fécula de batata + ½ xícara de polvilho doce)
  • 1 xícara de polvilho doce
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavo ou açúcar de coco
  • 2 colheres de sopa de farinha de linhaça
  • 1 colher de chá de sal temperado (receita abaixo)
  • 1 colher de chá de goma xantana (opcional como substituto do glúten e é (encontrado em forma de pó nas casas de produtos naturais).
  • 1 colher sopa de fermento seco para pão
  • 1 ovo
  • 1 colher chá de vinagre de maçã
  • 2 colheres sopa de manteiga ghee
  • 1 ½ xícara de leite vegetal

Modo de preparo:

Misture a farinha de arroz ou creme de arroz, polvilho doce, açúcar, sal, a farinha de linhaça, fermento e a goma xantana, reserve. Acrescente o ovo e o vinagre. Derreta a manteiga em ½ xícara de leite, acrescente mais 1 xícara de leite e deixe amornar. Coloque o leite com manteiga sobre os ingredientes secos e bata bem até formar bolhas. Se necessário, adicione mais leite até ficar uma massa mole. Pincele com uma gema, cubra com um pano e deixe a massa crescer até dobrar seu volume. Leve para assar em forno pré aquecido a 180° C por 25 minutos ou até ficar dourado.

Experimente essa ideia e, boa sorte!

Aprenda a fazer análise sensorial de uma cachaça

Você sabe saborear uma cachaça reconhecendo todas as suas características?

shutterstock_145816448

Para degustar uma bebida alcoólica e sentir tudo que ela pode proporcionar, devemos passar por praticamente um “ritual”. E é essa a proposta da análise sensorial, já que, com ela você pode identificar os sabores e aromas presentes na bebida. Estes podem ser frutados, amadeirados, florais, lácteos ou cítricos e são resultado — assim como o sabor — da mistura dos ingredientes, da fermentação e do armazenamento/envelhecimento da cachaça.

Vamos conhecer as etapas da análise:

Visual
Já no contato visual com o produto é possível identificar sua qualidade. Observe o comportamento das bolhas: se elas estourarem rapidamente, é sinal de qualidade, já se as bolhas se mantiverem nas paredes da garrafa pode ser um sinal de que a cachaça não é das melhores.

Tato
Existe um teste simples de tato para a percepção da qualidade pois, a cachaça tem uma leve oleosidade e para ver isso é só colocá-la para escorrer na parede de um copo ou até mesmo molhando o dedo na bebida. Se ela escorrer como água isso denota qualidade inferior, pois a oleosidade é garantia de um destilado de melhor procedência.

Olfato
Quando o assunto é cachaça, o olfato pode dizer muito sobre ela. No seu aroma é possível identificar o aroma do açúcar, da fermentação e do envelhecimento/armazenamento. É interessante que os aromas apareçam nessa ordem e com um leve cheiro de álcool, pois quando o aroma alcoólico é muito acentuado pode denotar baixa qualidade do produto, com gosto amargo e sabor forte.

Paladar
O principal sentido da análise é com certeza o paladar. Para sentir todos os sabores, é preciso tomá-la lentamente, e aproveitar enquanto a dose fica na boca. Espalhe-a pela língua e bochecha e sinta cada sabor se tornando presente nas papilas gustativas.
Você irá sentir uma sensação diferente para cada área da boca:
Na ponta dá para sentir o doce, na parte de trás o amargo, nas laterais a acidez e no centro o picante e o refrescante surgem de acordo com o blend ingerido.

Que tal aproveitar o domingo para degustar de uma forma diferente e ter uma experiência nova?

Quer investir em um novo negócio? O carrinho de acarajé é uma excelente opção

acaraje

O acarajé com certeza está entre os pratos típicos mais conhecidos do Brasil, agradando diversos paladares e conquistando um público cada vez maior. Entretanto, não é tão fácil encontrá-lo em algumas regiões, e é por isso que ter um carrinho de acarajé pode ser um ótimo investimento.

Para ter sucesso com um carrinho de acarajé devem ser observados alguns pontos, como por exemplo, o local de venda livre de concorrência, o bom preço, a qualidade e a quantidade de acompanhamentos. Para aumentar o faturamento, o carrinho pode contar ainda com a venda de bebidas para serem consumidas com o delicioso bolinho.

O valor do acarajé pode variar entre três e cinco reais, dependendo da região. Portanto, com um preço que costuma gerar bons resultados com um faturamento mensal estimado em cinco mil reais, certamente vale a pena montar um carrinho de acarajé.

Para inspirar esse novo negócio, o Guia do empreendedor separou uma receita pra você. Agora só falta o carrinho para você iniciar o seu negócio.

Receita de Acarajé:

Ingredientes

  • 500g de feijão fradinho
  • 5 colheres (sopa) de cebola ralada
  • Sal a gosto
  • 3 xícaras (chá) de azeite de dendê
  • 200g de camarão seco dessalgado para decorar

Vinagrete

  • 3 tomates picados
  • 1 cebola picada
  • 1 colher (sopa) de coentro picado
  • Sal, pimenta do reino e azeite a gosto

Vatapá (recheio)

  • 2 pães franceses frescos ou amanhecidos
  • 3 vidros de leite de coco (600ml)
  • 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1/2 xícara (chá) de amendoim torrado e sem casca
  • 1/2 xícara (chá) de castanha de caju torrada
  • 1 colher (sopa) de gengibre em lascas
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho
  • 500g de camarão seco dessalgado
  • Sal pimenta do reino e coentro moído a gosto
  • 1 pimenta dedo de moça com sementes
  • 1 colher (sopa) de molho de pimenta vermelha
  • 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1/2 xícara (chá) de azeite de dendê

Modo de preparo

  • Deixe o feijão de molho na véspera.
  • Descasque o feijão e bata no processador até virar uma massa.
  • Acrescente a cebola, sal e bata.
  • Transfira para uma tigela grande e bata com uma colher até dobrar de volume.
  • Frite no azeite de dendê bem quente, às colheradas.
  • Escorra em papel toalha e reserve.
  • Misture os ingredientes do vinagrete em uma tigela e reserve.
  • Para o vatapá, coloque o pão de molho na metade do leite de coco e deixe descansar por 2 horas.
  • No liquidificador, bata os pães com o restante dos ingredientes, menos a farinha e o azeite de dendê, até triturar.
  • Leve ao fogo e adicione, aos poucos, o restante do leite de coco, a farinha e o azeite de dendê.
  • Tempere com sal e cozinhe por 20 minutos ou até firmar.
  • Corte os acarajés reservados ao meio e recheie com o vatapá, o vinagrete e decore com o camarão e como desejar.
  • Sirva em seguida.

Saiba qual é o melhor modelo de freezer para o seu negócio

shutterstock_220079200

Olá empreendedor!

Você está utilizando o freezer correto para seu negócio?Você sabia que a escolha do freezer pode influenciar na conservação dos alimentos?

Muitos empreendedores por não saberem a diferença dos freezers disponíveis no mercado acabam tendo prejuízo no armazenamento.Ou até mesmo não se atentam para as preocupações técnicas e organizacionais de cada aparelho no estabelecimento, já que, pra cada local existe um aparelho mais adequado.

Devemos observar vários aspectos importantes na escolha do freezer ideal, levar em conta, por exemplo, a necessidade da sua utilização, o espaço físico e o tamanho interno para quantidade de produtos que deverão ser armazenados.

Alguns detalhes podem influenciar no funcionamento do aparelho, e para que isso não ocorra você deve ficar atento nos seguintes itens:

  • A manutenção do freezer deve ser feita periodicamente dentro da data determinada pela fabricante;
  • Deve estar acondicionada em local fresco e sem contato com o sol;
  • Realizar periodicamente a higienização do aparelho.

Mas afinal, qual freezer devo comprar? O vertical ou horizontal?

Para responder esta pergunta, devemos ter em mente seus objetivos e sua rotina. Pensando no dia a dia na copa ou cozinha, o ideal é o freezer vertical, por ocupar um espaço menor e ser mais fácil de organizar.

Já para estabelecimentos comerciais, o ideal mesmo são os freezers horizontais, pois servem para guardar alimentos que fiquem estocados por um período maior, e assim gastam menos energia por serem abertos menos vezes.

Falando em durabilidade dos produtos congelados, fique atento no prazo de cada um:

Carnes: entre oito e doze meses

Camarão e lagosta: o camarão cru pode ser congelado por seis meses, e a lagosta no máximo três meses.

Presunto e bacon: três meses

Salsicha: dois meses

Polvo e lula: de dois a três meses

Marisco: entre três e quatro meses

Agora que você já sabe qual o freezer ideal para seu empreendimento, e o tempo de duração dos produtos, vamos empreender!

Dicas práticas para conservar por mais tempo frutas, verduras e legumes

shutterstock_108527423Olá empreendedor!

Você já pensou em quanto dinheiro é desperdiçado diariamente com alimentos armazenados de forma incorreta? Pensando nisso, separamos algumas dicas fundamentais para o seu empreendimento para maior durabilidade das frutas, verduras e legumes.Então, vamos aprender um pouquinho!

Separação

Devemos iniciar o processo de armazenamento com a separação dos alimentos, uma vez que, frutas e vegetais emitem etileno. Esse é um gás natural inodoro, inofensivo e insípido que, em contato com outros alimentos sensíveis, acelera o processo de amadurecimento.
Assim, no primeiro passo iremos separar os produtos que emitem etileno e, os que são sensíveis a eles.
Alimentos que produzem o gás etileno: abacaxi, pera, abacate, banana, tomate, ameixa, pimentão, nectarina, manga, uva, maçã, damasco, melão, frutas cítricas, figo e kiwi.
Alimentos sensíveis ao gás etileno: batata doce, abóbora, salsa, ervilha, alface, espinafre, brócolis, cenoura, aspargo, couve, couve-flor, berinjela, pepino e repolho.

Armazenamento

Passado pelo processo de separação, vamos dar início ao modo de armazenamento. É importante ter o cuidado de observar que cada produto tem suas características e por isso, possuem formas diferentes de serem guardados.
As frutas devem ser colocadas em sacos plásticos na gaveta da geladeira, porém as que continuam amadurecendo como o abacate, por exemplo, devem ser mantidas na fruteira em temperatura ambiente até que fique pronta para consumo. Frutas como banana, melancia e abacaxi só devem ir para geladeira depois de abertas ou, no verão quando a temperatura eleva.
Já os vegetais verdes como aspargos, ervas frescas, cebolinha e salsinha tem maior durabilidade quando armazenados em recipientes com o caule na água. Alho, cebola e batatas adoram um lugar fresco e escuro. Os tomates – ao contrário do hábito de várias pessoas – não devem ser guardados em geladeiras, e sim em um local fresco e sem contato com a luz solar.

Minhas frutas já estão começando a passar, e agora?

Fique tranquilo, ainda podemos salvá-las! Uma boa ideia para quando a fruta começar a ficar mais madura, é o procedimento do congelamento. Você pode congelar a fruta inteira ou fazer polpa caseira. Basta processar a fruta no liquidificador com água e colocar em sacos plásticos colocando a data de fabricação, já que, com esse procedimento a durabilidade é de um ano.Com a polpa pronta podemos utilizar para sucos, vitaminas e até geleias.

Dicas

Muitas pessoas costumam higienizar as frutas e legumes antes do armazenamento, porém, o mais correto é fazer o processo de higienização depois do armazenamento no momento do consumo.
Os cogumelos devem ser armazenados em sacos de papel na geladeira ou em local fresco, e não em sacos plásticos para evitar que a umidade faça com que eles estraguem.
Enrolar a coroa do cacho de bananas com filme plástico permitirá que permaneça fresco em até cinco dias.
Essas são algumas dicas para o armazenamento ideal das frutas, legumes e verduras, em seu negócio para que permaneçam frescas por mais tempo. Vale a pena coloca-las em prática, então mãos à obra empreendedor!

Aprenda a fazer maionese temperada para inovar no cardápio de sua lanchonete e restaurante

shutterstock_272856290

Olá empreendedor! Com certeza, além de administrador e vendedor, você também é consumidor e sabe como uma boa maionese bem temperada é capaz de conquistar qualquer paladar! Pensando nisso, hoje preparamos uma receita especial desse condimento que vai cair bem em diversos pratos e fidelizar cada vez mais clientes!

Ingredientes:

  • 2 ovos
  • 300ml de óleo de girassol gelado
  • 50ml de azeite
  • 10g de cebolinha
  • 5g de salsinha
  • ¼ dente de alho
  • 1 colher de sopa de mostarda
  • Sal a gosto
  • Pimenta preta moída a gosto

 Modo de preparo:

  1. Bata os 2 ovos, a cebolinha, metade da salsinha, o alho, a mostarda, o sal e a pimenta em um liquidificador fechado por 10 segundos.
  2. Adicione lentamente o óleo gelado à mistura pelo furo na tampa do liquidificador.
  3. Assim que a maionese adquirir sua consistência devida, abra o liquidificador e despeje aos poucos o azeite, de forma que ele seja absorvido pelo restante da mistura.
  4. Ao final, adicione o restante da salsinha.

Essa receita é clássica e deliciosa, além disso, vai combinar com um delicioso lanche ou porção e com certeza será um sucesso de vendas! Boa sorte, empreendedor!

Saiba como fazer um gelo de qualidade e como isso pode influenciar a bebida

shutterstock_215467243

Definitivamente gelo não é apenas um cubinho de água congelada e, a importância de saber como fazer um bom gelo pode determinar a qualidade da bebida oferecida ao cliente.

Nos coquetéis eles são essenciais e podem interferir na apresentação e na diluição do produto final, ou seja, o gelo de boa qualidade é tão importante quanto os demais ingredientes presentes na bebida.

Então, vamos aprender a fazer um bom gelo!

Qual água usar?

Com certeza água mineral ou filtrada, dando preferência para água do filtro de barro.

Onde colocar?

As formas de silicone se adaptam ao gelo e não permite rachá-lo, mas recipientes maiores também podem ser usados.

Como tirar?

Para não trincar o gelo, deixe a forma em temperatura ambiente por cinco minutos e depois passe as mãos por ela, assim o calor da ação fará com que ele solte do recipiente.

Proteção

Se você utiliza seu freezer para outras funções além do gelo, é importante cobrir a forma com papel filme para evitar aromas indesejados.

Curiosidades:

  • Ferva água, deixe esfriar e depois ferva novamente. Isso elimina uma porcentagem do oxigênio que se concentra no gelo.
  • O gelo deve ser transparente sem partes cinzentas, pois elas indicam a presença de ar.
  • Um gelo não deve ter qualquer sabor para não influenciar no drinque.

Aproveite o verão para testar novos drinques e, se surpreenda com a diferença de um bom gelo.

Aprenda a receita de uma maravilhosa Trança Salgada para o cardápio de sua padaria

shutterstock_310898828
Olá empreendedor! Se você está pensando em ampliar o cardápio da sua padaria com receitas incríveis, este é o momento certo! Hoje apresentaremos uma deliciosa receita de Trança Salgada que vai deixar todos os seus clientes com água na boca! Vamos lá!

Ingredientes:
Massa
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 ovo
1/2 xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de margarina
1 colher (sopa) de fermento químico em pó
1 colher (chá) de sal

Recheio
2 tomates picados
1 cebola picada
2 colheres (sopa) de azeitona preta picada
2 colheres (sopa) de azeite
1 colher (chá) de orégano

Montagem
150g de mussarela
150g de peito de peru defumado
1 ovo
Sal a gosto

Modo de Preparo:
Massa
Misture a margarina, o leite, o ovo, o fermento e o sal em uma vasilha. Acrescente a farinha de trigo e amasse. Em seguida, sove o conteúdo em uma superfície lisa até desgrudar totalmente e deixe descansar por 20 minutos.

Recheio
Aqueça o azeite e doure a cebola. Em seguida, adicione o tomate e deixe refogar por 5 minutos. Adicione o orégano e as azeitonas. Reserve.

Montagem
Abra a massa e espalhe o recheio no centro. Adicione o tomate com cebola. Em seguida, adicione a mussarela e o peito de peru, alternando as fatias de 2 em 2. Faça cortes nas bordas para respirar e feche a massa. Por fim, pincele a trança com gema batida e leve ao forno por 30 minutos.

Aproveite, empreendedor! Essa é mais uma deliciosa receita que o Guia do Empreendedor Makro preparou para você poder conquistar novos clientes! Separe os ingredientes e mão na massa!

Qual a melhor forma para abrir a massa da pizza?

Como abrir massa de pizzaOlá empreendedor! Recentemente, temos trazido diversas receitas diferenciadas para incrementar pizzas e oferecer sabores diferenciados para os clientes. No entanto, pode ser que uma das etapas cruciais do processo produtivo da pizza ainda seja uma dificuldade, e por isso hoje falaremos exclusivamente deste processo: a abertura da massa!

Sendo a base de qualquer pizza, a massa precisa estar sempre uniforme e na consistência adequada para evitar o aquecimento excessivo ou insuficiente do recheio. Para se chegar ao ponto ideal, é preciso cautela, mas também é fundamental definir uma técnica no seu empreendimentopara que as pizzas saiam todas padronizadas.

Existem três formas comuns de abrir a massa, sendo mais conhecido e frequente o uso do rolo nesse procedimento. Com este equipamento simples, o pizzaiolo conseguirá moldar a massa com facilidade e rapidez.

Para esticar a massa com o rolo, primeiramente é necessário espalhar um pouco de farinha de trigo sobre uma superfície plana e higienizada, como uma tábua de madeira ou de mármore, para reduzir a chance de que a massa grude. Em seguida, é preciso sovar um pouco a massa sobre a farinha com as mãos.

Passados cerca de 10 minutos, a massa provavelmente estará próxima da textura desejada: lisa, mole e não muito pegajosa. A partir daí, basta pegar o rolo e passa-lo sobre a massa, em movimentos para cima e para baixo, tornando-a cada vez mais uniforme. No final do processo, recomenda-se que o movimento ocorra em todas as direções, incluindo laterais, para chegar ao disco característico da pizza.
Mas cuidado! Não a deixe muito fina, senão as chances de queimar aumentam!

Como alternativa ao rolo, utiliza-se as próprias mãos! A sequência épraticamente a mesma, exceto na parte final, que ao invés de rolar a massa para as laterais, deve-se dar leves tapas para que ela fique mais lisa.

Para os mais experientes, é possível chegar ainda a uma terceira técnica, esta já mais aprimorada e bem mais próxima do formato tradicional da pizza, que envolve bordas no entorno do recheio! Apesar de demandar um pouco mais de treino, o processo é bem parecido com os anteriores.

Role a massa até que ela se tornar lisa. A partir daí, é necessário segurar a massa com uma das mãos e sová-la a partir do centro com a outra, de forma que a maior parte do conteúdo seja espalhada para fora e engrosse as bordas. Para finalizar, é importante pressionar os cantos da pizza que estiverem mais abertos com um garfo, evitando sua abertura no forno!

Pronto, empreendedor! Agora que você já sabe como fazer uma boa pizza, aproveite as técnicas e prepare-se para colocar as mãos na massa!